6 coisas que atrapalham o licenciamento ambiental e que você precisa evitar

Certa vez, ajudei uma empresa que estava com um grande problema na sua licença ambiental.

Há mais de 12 meses a empresa estava com o licenciamento ambiental parado no órgão de meio ambiente. O que aconteceu, então?

A empresa deixou de ganhar dinheiro devido a essa perda de tempo e desatar esse nó foi um enorme desafio, mas que me rendeu preciosas lições.

Pelo menos aprendi que existem seis coisas que atrapalham o licenciamento ambiental e que você deve ter muito cuidado com elas para não perder tempo e dinheiro.

Quer saber? Então vamos lá.

 

1. Desconhecimento do escopo para obtenção da licença ambiental

Certamente, esse é o principal problema: Desconhecer o que deve ser feito para obter a licença ambiental.

Saber o passo a passo do que deve ser feito para obtenção da licença ambiental é ter em mãos um mapa do tesouro. Então, como isso pode ajudar você?

Isso evita que você percorra caminhos errados e te ajuda a seguir a trilha correta do licenciamento ambiental.

Então, com o escopo bem definido, você já será capaz de resolver todos os demais problemas: prazos, custos, riscos, qualidade e recursos.

2. Prazos do licenciamento ambiental em descompasso com o cronograma da obra

Olha só! Não basta apenas definir um escopo de trabalho para o licenciamento ambiental.

O segundo passo é tão importante quanto o primeiro. Então, o que você precisa?

Você vai precisar ter um cronograma inteligente e bem estruturado, que alinhe os prazos das licenças com o prazo das obras.

Além disso, será necessário acompanhar bem de perto o analista do órgão ambiental para não deixar que ele durma no ponto.

Por isso, controlar prazos no licenciamento ambiental é crucial para o sucesso na obtenção das licenças, especialmente quando o órgão de meio ambiente coloca exigências a serem cumpridas no meio do caminho.

Consequentemente, deixar de cumprir requisitos nos prazos definidos pelo órgão ambiental pode colocar todo o processo a perder.

Você deve ter muito cuidado nesse aspecto!

3. Descontrole de gastos no licenciamento ambiental

Outro grande problema é não ter um orçamento adequado para o licenciamento ambiental.

Certamente, você já sabe que licenciamento tem custos e o gasto de dinheiro não é apenas com as taxas.

Você também terá que contratar profissionais e serviços para cumprir as exigências da licença ambiental.

Então meu caro, você vai precisar ter orçamentos plausíveis que mostram previamente tudo o que será necessário gastar no licenciamento.

4. Não ter um plano de resposta de riscos ao solicitar a licença ambiental

Ajudei um cliente que teve seu licenciamento parado para balanço só porque a comunidade do entorno se sentiu ameaçada com possíveis impactos ambientais.

Faltou elaborar um plano de resposta de riscos.

Então, o que você precisa fazer?

Você vai precisar identificar possíveis situações que podem atrapalhar o processo de licenciamento como um todo e ter pelo menos uma resposta para cada uma delas. Já parou para pensar nisso?

5. Não ter um plano de qualidade para o licenciamento ambiental da empresa

Certamente, uma documentação ou estudo fora dos padrões exigidos pelo órgão ambiental vai gerar retrabalhos e grande perda de tempo. Concorda?

Assim, identificar requisitos e definir a priori os padrões de qualidade para os produtos e serviços do licenciamento ambiental evitam esses retrabalhos.

Como evitar esse problema?

Você deve ter e seguir procedimentos operacionais padronizados (POP).

Isso vai ajudar você a ser mais produtivo e a evitar erros processuais que custam dinheiro.

6. Não saber quais recursos serão de fato necessários para o licenciamento ambiental da obra

Por fim, sem uma lista de verificação dos recursos (humano, material, documental e financeiro) necessários ao licenciamento ambiental, você vai ficar totalmente desnorteado e emocionalmente desgastado para colocar tudo em ordem. E isso é muito ruim para sua produtividade. Não acha?

Então, cuide de preparar essa lista antes de iniciar o licenciamento ambiental de sua empresa.

Conclusão

Então para concluir, afirmo que esses 6 problemas são superados através de uma boa gestão do licenciamento ambiental.

Assim, como gerente de projetos com Certificação PMP®, eu e minha equipe da Souza Barros, ajudamos pessoas como você a conduzirem os licenciamentos de suas empresas de forma tranquila e segura, criando procedimentos que evitam os seis problemas comentados acima.

Então, podemos ajudar você a:

  1. Definir corretamente o escopo para você tirar sua licença ambiental;
  2. Criar um cronograma e fluxo de trabalho plausível para esse escopo;
  3. Criar um orçamento específicos para todo esse processo;
  4. Identificar riscos e preparar respostas para eventos adversos;
  5. Ter um fluxo de trabalho padronizado que aumenta a produtividade;
  6. Criar uma lista de verificação dos recursos necessários para obtenção e manutenção das licenças ambientais.

Não é bacana tudo isso? E aí, você se depara com esses problemas? O que você achou das dicas para evitá-los? Faz sentido para você?

Diante disso, temos uma coisa boa para te dar!

Imagine que você já pode ter o escopo definido para obtenção da licença ambiental da sua empresa de forma gratuita.

 

Conheça mais sobre a Souza Barros

A Souza Barros, além de ajudar empresas que precisam de programas ambientais para fins de licenciamento, também oferece outros serviços importantes dentro da área.

Entre os trabalhos que a Souza Barros pode realizar para você, temos: plano de compensação ambiental, inventário florestal, diagnósticos socioambientais e outros.

Assim, somos uma empresa completa de gestão ambiental.

O time da Souza Barros é formado por profissionais especialistas e de extensa experiência.

Com vasto conhecimento e vivência profissional, os serviços são executados com o máximo de precisão para facilitar a vida dos clientes na gestão do meio ambiente.

Então, você pode contar conosco para o licenciamento ambiental de sua empresa além de outras necessidades.

E aí? Gostou do artigo?

Acredito que sim.

Então, te vejo na próxima.

Com carinho,

Dr. André Barros.