PGRCC: Veja o que precisa saber sobre a sua formulação

PGRCC (Plano de Gerenciamento de Resíduos da Construção Civil) é imprescindível para construtoras, que, com ele, evitam multas e a possibilidade de não obter o alvará de construção. Entenda agora como ele é realizado

PGRCC (Plano de Gerenciamento de Resíduos da Construção Civil) é uma determinação da Política Nacional de Resíduos Sólidos aplicada para construtoras, que são grandes geradoras de resíduos.

Fundamentalmente, o PGRCC é um programa de gerenciamento de resíduos da construção civil, que estabelece processos para que os resíduos tenham manejo adequado bem como uma destinação apropriada.

O estabelecimento do projeto de gerenciamento de resíduos da construção civil tem como intuito a redução de danos ao meio ambiente. Sendo assim, um programa de alta importância para a sociedade em geral.

Para a compreensão do PGRCC como a sua elaboração, preparamos um conteúdo completo. Confira todos os tópicos:

  • PGRCC legislação: veja quais resoluções determinam a sua elaboração
  • Que tipos de obras precisam do PGRCC?
  • Quando deve ser apresentado o PGRCC?
  • Etapas de gerenciamento que compreendem o PGRCC
  • Itens que devem constar no documento
  • O que determina o PGRCC preço?
  • Souza Barros: profissionais de ampla expertise na produção de PGRCC
  • Razões que fazem do PGRCC um grande aliado das construtoras

PGRCC legislação: veja quais resoluções determinam a sua elaboração

O PGRCC legislação é determinado por diferentes resoluções do CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente). São elas: 307/02, 431/11, 448/12 e 348/4.

Além dessas resoluções, há outras normas e leis em vigor que compreendem PGRCC legislação. Todas as exigências requerem que as empresas da construção civil para a elaboração de obras tenham o PGRCC.

Para a compreensão a fundo da PGRCC legislação, você pode entrar em contato com a Souza Barros, especialista em projetos ambientais, a qual conhecerá mais nos próximos tópicos.

Que tipos de obras precisam do PGRCC?

Todos os tipos de obras que geram resíduos como: metais, tijolos, argamassa, rochas, madeiras, tintas e outros, estão previstos no PGRCC legislação. Portanto, incluem obras como:

  • Construções;
  • Reformas;
  • Escavações e preparação de terrenos;
  • Demolições;
  • Reparos.

Com o investimento no PGRCC, as empresas ligadas à construção civil terão orientações sobre como caracterizar os resíduos, que contam com diferentes classificações como A, B, C e D.

Além disso, por meio do PGRCC são avaliadas as melhores formas de evitar que os resíduos causem contaminação, que são obtidas por meio do processo de triagem.

Por fim, o investimento no PGRCC determina os locais em que os resíduos provenientes das obras serão destinados.

Quando deve ser apresentado o PGRCC

O projeto de gerenciamento de resíduos da construção civil precisa ser apresentado em conjunto com o plano da obra de determinado empreendimento.

Portanto, as empresas para a obtenção do alvará de construção, necessariamente precisam investir no PGRCC antes de iniciar os procedimentos para evitar penalidades.

Além de necessário para obter o alvará de construção, o PGRCC é também um documento técnico que faz parte dos procedimentos de obtenção do licenciamento ambiental.

Desta maneira, o investimento no PGRCC contempla as necessidades de empresas construtoras, que querem evitar problemas como multas e sanções por parte de organismos ambientais oficiais.

Etapas de gerenciamento que compreendem o PGRCC

No segundo tópico, já citamos algumas das principais etapas que compreendem o PGRCC legislação. Contudo, vamos explicar mais sobre elas e as demais englobam o programa.

A primeira fase do projeto é a classificação dos resíduos. Esta etapa é a parte em que são desenvolvidos os procedimentos de caracterização, que como citamos possui quatro categorias: A, B, C e D.

A segunda fase do programa, que também falamos é a triagem. Esta etapa é basicamente a separação, cujo objetivo, junto com o armazenamento é evitar que eles contaminem o meio ambiente.

As seguintes etapas são o transporte e a destinação correta dos resíduos, que geralmente vão para aterros sanitários ou organizações de reciclagem licenciadas.

Itens que devem constar no documento

O PGRCC é um documento que, além de contemplar todo o cronograma das ações que falamos no tópico anterior, exige outros dados.

Geralmente, o documento precisa das informações do responsável técnico do projeto e da obra, dados do contratante e da empresa contratada, informações sobre o plano da obra a ser executada.

Além disso, é necessário que o documento tenha os dados sobre as categorias dos resíduos gerados bem como a sua quantidade.

O que determina o PGRCC?

O valor do projeto não tem um custo definido. O preço varia conforme a localização do empreendimento como a sua complexidade e tamanho.

É importante salientar, que a sua produção deve ser realizada por engenheiros ambientais e biólogos credenciados, já que o documento prevê a anotação de responsabilidade técnica (ART).

No mais, destacamos que o custo de não realizar o programa é bem mais elevado que a sua produção. É estimado multas pesadas que podem chegar a milhões, conforme porte do empreendimento.

Souza Barros: profissionais de ampla expertise em produção de PGRCC

A Souza Barros conta com um corpo de profissionais competentes e credenciados, aptos a elaborarem o programa de acordo com as normas e legislação vigentes.

Como o intuito da Souza Barros é uma solução completa e eficiente, os projetos de gerenciamento de resíduos gerados pela construção civil visam a otimização e o melhor aproveitamento.

Desta forma, o PGRCC feito e executado pela Souza Barros é estratégico para as construtoras, que terão menos riscos tanto no âmbito ambiental quanto social.

Portanto, se você deseja para sua construtora uma parceira na melhoria dos processos é a Souza Barros que você precisa!

Razões que fazem do PGRCC um grande aliado das construtoras

Quando o projeto é realizado por empresas de alta capacitação como a Souza Barros, ele traz muito mais  segurança na obtenção de alvará e licenciamento.

Isso porque, um bom programa de gerenciamento de resíduos conta com métodos que minimizam acidentes no canteiro de obras. Há também vantagens como a redução de gastos como o reaproveitamento e a diminuição da geração de resíduos.

Neste artigo, você pode entender como é realizada a elaboração do projeto e outras informações que abarcam o tema, que julgamos necessário compreender.

Finalizamos o post, convidando você a conhecer os outros serviços da Souza Barros, que conta com consultoria, gestão de projetos, cursos e treinamentos. Não deixe de conferir!

Preencha o formulário e fale com a Souza Barros